Guru do Amor | Devemos viver os momentos como se fossem únicos
410
single,single-post,postid-410,single-format-standard,ajax_fade,page_not_loaded,,qode-theme-ver-10.0,wpb-js-composer js-comp-ver-4.12,vc_responsive
 

Devemos viver os momentos como se fossem únicos

Devemos viver os momentos como se fossem únicos

Existe uma frase ou lema de vida que pelo menos uma vez na vida já usamos: “Vivo meus momentos como se fossem os últimos!”. Mas será que realmente é legal pensarmos dessa maneira? Que energia nós atraímos com esse tipo de pensamento?

Eu estava trocando e-mail’s com uma grande amiga, orientadora e tudo mais. Ele disse palavras maravilhosas a respeito desse assunto. Imediatamente perguntei se poderia utiliza-las para um de meus textos e ela disse o seguinte: “Fique à vontade para realizar seus textos, com os temas que levanto. Só tome cuidados, para não pirar, assim, como eu…”.

Realmente me pergunto se escrever é fruto de um processo de piração. De qualquer maneira vamos continuar.

Sinta a profundidade do raciocínio: “Os momentos que nós vivemos não devem ser tratados como os últimos, mas sim como sendo ÚNICOS, pois quando conquistamos ou realizamos algo, (abstrato, material, físico) para nós, ou para os outros, devemos sentir a sensação de continuidade. O fato de tratarmos e pensarmos tais possibilidades como sendo as últimas é que nos faz pessoas acomodadas em relação às nossas realizações. É como se já tivéssemos feito toda a nossa parte, quanto ao que acabamos de presenciar ou vivenciar. Em verdade, o que precisamos é dar seguimento ao que “acabamos” de fazer e descartar o “último” de nossas vidas. O importante é entendermos que o único é o mais certo para aproveitarmos bem, todos os nossos momentos e o último, seria o ponto final. O único é sempre perfeito, não voltará jamais, é  realidade, fato e se torna precioso. Eu prefiro as reticências do que os pontos finais nas minhas histórias e vc? Nunca saberemos, onde tudo termina…Ainda prefiro assim…”

Depois dessa aula de como tratar nossas vidas, pensamentos e possivelmente atitudes creio que nem seja mais importante comentário ou qualquer tipo de observação. O que deve realmente se apresentar nesse momento é uma reflexão a respeito de como tenho feito minhas escolhas e vivido minhas experiências.

A água de um rio não passa duas vezes no mesmo lugar, mas está em constante movimento, seguindo uma continuidade, seu traçado.

Então, pense bastante no que vive e faz hoje, pois isso terá uma continuidade, um depois. Faça não como se fosse a última, mas sim como se fosse a única vez.

No Comments

Post A Comment