Guru do Amor | Porque ser feliz é uma questão de escolha
0
home,blog,paged,paged-16,ajax_fade,page_not_loaded,,qode-theme-ver-10.0,wpb-js-composer js-comp-ver-4.12,vc_responsive
 

Guru do Amor

“Olá ... Bom, meu nome é Fernanda e aí vai a minha situação. Há 5 anos atrás, quando eu tinha apenas 15 anos, era afim de um garoto que era amigo de um amigo. Na época, conversamos, mas nada aconteceu. O tempo passou, eu namorei outra pessoa por quase 4 anos, mas não deu certo. Depois que terminei, mudei os contatos e mandei para uma lista de pessoas que por um acaso aquele garoto de 5 anos atrás estava no meio e um belo dia, me falou oi pelo msn. Bem ele falava que queria ver como eu estava, mas pela falta de tempo dos dois não conseguimos nos encontrar. Ficamos 3 meses nisso, até o dia que ele me pediu o meu celular e no dia seguinte me chamou para irmos em uma praça perto de casa. Fui à praça, conversamos bastante e quando ele foi me deixar em casa enfim rolou aquele clima e puf! Beijo rsrsr...bem, no dia seguinte achei que não fosse lembrar de mim, mas mandou msg e veio me ver no trabalho. Enfim, nessa mesma semana teve que viajar, mas assim que voltou veio me ver de novo, me ligou um dia, mas não pode me encontrar. Mas em uma dessas conversas disse que não queria nada sério por falta de tempo, mas que estava gostando de ficar comigo. Achei que não falaria mais comigo de novo, mas sempre que entro no msn vem falar e fala de problemas que estão acontecendo e pede para me ver. Sempre que nos vemos rola sempre provocações, mas nada além disso. Mesmo sem querer estou gostando dele, mas ele continua dizendo que não quer namorar. Mas quero conquistá-lo. O que devo fazer? Se é que dá para se fazer alguma coisa, Obrigada!”

“Oi gente,  estou precisando muito da ajuda de vocês. Estou apaixonado pelo meu professor e sinto que ele gosta de mim, só não sei como chegar a ele. Ele me olha de um jeito bem especial e me faz bastantes elogios, certa vez ele mentiu para algumas alunas dele em minha presença, dizendo que era casado, só que no dia seguinte pedi para uma colega minha ir perguntar se realmente ele era casado só que ela me falou que ele respondeu que não era casado nem nada, hoje ele me elogiou muito na sua aula, e seu olhar penetrante mais uma vez perfurou meu coração, o que devo fazer? Preciso de ajuda alguém tem alguma sugestão?” Aurélio. Dependendo do lado que olharmos sua situação ela pode estar fácil de resolver ou um pouco mais complicada. Primeiro vamos falar da parte fácil.

“na verdade tenho uma pergunta e preciso muito saber sua opinião! guru eu tenho 19 anos e nunca tive um namorado, tive ficantes, mas a maioria não passou de 1 dia, me sinto tão só e até minhas amizades sumiram. E o pior é que não consigo ser feliz mesmo tendo tudo o que quero. Sinto-me só e estranha. Às vezes me bate um desespero de imaginar que um dia tive amigos e agora estou tão sozinha.

“bom, eu acho que eu gosto de um vizinho amigo dos meus primos e tal, e acho que ele e os outros tbm já perceberam, ele me olha de um jeito lindo, mais não tenho certeza se devo pedir pra ficar ou deixar rolar,o nome dele é Leandro e ele é lindo *- o q eu faço? chego nele ou deixo rolar .. e pior q meu padrinho não pode nem desconfiar .o q eu faço?” Obrigada, Andressa. Olá, Andressa!! Pelo seu relato são praticamente duas situações com duas opções de escolha. Vou partir da ordem inversa, começando da parte que seu padrinho não pode nem desconfiar.

“No dia 29 de Maio, comecei um namoro com uma rapariga. No dia 2 de julho, ela acabou comigo. Esse relacionamento era estranho, pois só tivemos 2 vezes juntos e isso foi um dos fatos para ela terminar. Mas o pior é que ela diz que gosta de mim, mas não sei porquê, diz que não há nada a fazer. Eu vim de férias, e por isso ela terminou, disse que não agüentava.. O que posso fazer?” :(  Pedro.

Quem nunca ouviu a expressão “amor de carnaval”?  Hoje já até podemos falar em outra, dar uma aperfeiçoada, chamando de “amor de Big Brother”. Usamos tal expressão para falarmos de amores rápidos, amores que vem e vão sem nem uma pessoa conhecer a família do outro. Já viveu ou conhece alguém que tenha vivido? Alguns são fulminantes, pegam e derrubam sem deixar qualquer pedacinho da pessoa. “Somos atropelados por um caminhão e ninguém anota a placa!” Só me pergunto se isso é saudável ou não e porque acontece cada vez mais hoje em dia. Uma parte eu respondo fácil fácil, hoje a freqüência é muito grande por vários motivos. Maior facilidade de comunicação, moda, mídia, o trato como pessoas descartáveis, banalização da relação, do sexo, do amor, das pessoas. Ou seja, um momento sócio-histórico que vivemos, de uma sociedade que busca sempre o prático, rápido e pronto, mas pena que nem sempre eficaz.

“há 2 anos atrás conheci um garoto, no começo não gostava mt dele, achava ele feio, mais aos poucos ele foi me conquistando, e me apaixonei por ele, a gnt acabou ficando (foi meu primeiro beijo) a gnt ficou 1 mes juntos, só q ele achava q eu naum gostava dele, e eu tbm nunca demonstrava meu amor, ai a gente acabou terminando, e ele se envolveu com outra garota. Passou 3 meses ele quis voltar, e eu cedi, a gente ficou um tempo juntos e acabamos terminando por uma burrada minha. Passaram 9 meses a gnt voltou a conversar, e começamos a ficar de novo, ele dizia q dessa vez seria diferente, que gostava de mim, q me queria todos os dias ao lado dele, foi td tão bom, mais dps tudo acabou, ele gosta de sair e beber todos os fds, e eu não podia sair todo fds com ele, e ele tbm não pedia permissão para meus pais, e ele não entendia isso, e tbm não me dava satisfações de nada. Só que qnd minhas amigas conversavam com ele, ele dizia "eu gosto dela, não amo" só que ele tá sempre me procurando. E eu não agüento mais isso, quero estar do lado dele, mas desse jeito não dá mais para mim. Penso nele todos os dias, choro todos os dias, lembro de cada momento ao lado dele, não consigo esquecê-lo. Quero me declarar, mais tenho medo. O que eu faço?”