Guru do Amor | Você namora outro ser, outro universo, outro mundo
13
single,single-post,postid-13,single-format-standard,ajax_fade,page_not_loaded,,qode-theme-ver-10.0,wpb-js-composer js-comp-ver-4.12,vc_responsive
 

Você namora outro ser, outro universo, outro mundo

Você namora outro ser, outro universo, outro mundo

“Namorar, eita coisa boa!!”. “Namorar?? Tô fora” É isso mesmo! Tem gente que se amarra em namorar, mas tem gente que nem pensa em se amarrar.

O que faz com que uns queiram muito, estejam sempre pulando de um namoro para o outro? Aqui não falarei de questões relativas a insegurança, medo ou sentimentos do tipo que façam com que uma pessoa não consiga ficar só. Serei um pouco superficial, ou melhor, atentarei sobre algo muito importante no relacionamento e em nossas vidas, O OUTRO.

Tem uma frase que ouvi uma vez e sempre uso em minhas discussões pertinentes ao assunto que é: “Cada um sabe a dor e a delícia de ser o que é!” É até um bom tema para um texto, mas aqui, quero que essa frase venha para representar o fato de que pessoas são diferentes, que cada um possui suas motivações, perspectivas, defeitos, sofrimentos, felicidades e desejos.

E esses fatos, sentimentos ou processos nos mostram que quando estamos com alguém essa pessoa tem sua singularidade, diferenças quanto ao que pensamos, desejamos e sentimos. O outro não tem a obrigação de entender e sempre estar pronto para compreender o que se passa conosco. É aí que está o ponto crucial de todo e qualquer relacionamento que dá certo. E este certo também se refere a relacionamentos que acabam, pois deu certo sim, mas apenas o tempo que durou. Este ponto crucial é o respeito as diferenças, a liberdade e singularidade pertinente a cada um.

Costumo dizer que o amor é um conjunto de sentimentos, carinho, tesão, confiança, respeito e etc. Mas o amor realmente se mostra e se fortalece quando um aprende ou consegue conviver com as diferenças, com os defeitos, respeitando tais fatos por saber e sentir que isso é da pessoa, está inerente ao ser que o outro é.

Então, para conseguirmos racionalizar tal idéia, apresento mais uma frase que li e estudei: “Não importa o que façam com você, mas sim o que você faz com isso”. Ou seja, o outro pode ser, viver e fazer o que quiser, pois ele é o outro. Quem vai determinar o que e como sentir é você mesmo. Procure sempre pensar e refletir sobre atitudes que as pessoas têm com você, pois tais atitudes são interpretadas não pelo outro, mas sim por você mesmo. Por isso então podemos dizer que sentimos o que escolhemos sentir.

Tags:
,
1Comment
  • juliana
    Posted at 05:05h, 15 outubro Responder

    eu amei so queria saber se gemios namora com capricornio

Post A Comment